Frida e as crianças

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Dividida em seis eixos temáticos, a exposição Frida e Eu segue no Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro até 2 de outubro. Para falar de autorretrato, família, dor, Diego, natureza e Paris, "momentos ou aspectos importantes da vida da artista mexicana", a mostra apresenta diversas possibilidades de interação. "São experiências que vão muito além do tocar, apertar, montar e se surpreender", conta Daniela Kohl Schlochauer, da Bacuri Cultural, responsável por trazer "Frida e Eu" para o Brasil.

Pedagoga de formação, especialista em crianças de 0 a 3 anos e em gestão de Recursos Humanos, foi depois do nascimento de seus filhos que Daniela teve certeza de que queria conciliar um trabalho ao seu interesse genuíno de ver os filhos crescerem bem. Aos poucos, foi formando a equipe da Bacuri Cultural, produtora que nasce agora e conta com oito profissionais de diferentes formações e atividades, mas com um mesmo interesse. "São pessoas que igualmente se apaixonaram pelo projeto e que viram nele uma possibilidade de oferecer um repertório maior para as crianças, além de proporcionar essa interação tao essencial entre as crianças e adultos", disse ao Estúdio Voador, na entrevista que segue abaixo.

Estúdio Voador: De que forma as crianças podem interagir com as obras?

Daniela Kohl Schlochauer: O objetivo é fazer com que a criança "se sinta Frida” e faça correlações com sua própria vida. Que experimente algumas situações que foram marcantes para a artista, como por exemplo o acidente que a deixou presa à uma cama e, desta forma, provocou o início de sua carreira como pintora. Presa à cama, ela começou a pintar. As crianças poderão deitar em uma cama, se olhar num espelho e fazer um autorretrato. Em uma outra estação, as crianças poderão escolher um cenário e usar objetos para compor este cenário tal como a artista fazia e tirar uma foto.

 

Como falar de Frida para as crianças?

Isso foi um dos pontos primordiais que me deixaram encantada quando a exposição pela primeira vez, no Centro Pompidou de Paris: falar de uma artista que tem uma história densa, cheia de episódios marcados pelo sofrimento e pela dor, de uma maneira leve e lúdica e sem maquiar ou esconder os fatos. E conseguir fazer isso de forma sutil e delicada.

É isso que a exposição proporciona. Não tem o objetivo de fazer com que as crianças se tornem “experts” após a  visita, mas sim de aproximar e atrair a criança ao espaço do museu, usando pra isso uma artista importante, conhecida e que transformou sofrimento em oportunidade. Frida é conhecida em todo o mundo como modelo de superação e sua história nos cativa até os dias de hoje.

Alguma obra em particular costuma chamar a atenção? Qual e por quê?

A exposição Frida e Eu não contém acervo. Ela traz reproduções dos lugares e paisagens que a artista costumava frequentar e viver. "O Jardim", por exemplo, é uma instalação sonora em que a criança pode deitar e sentir como se estivesse no jardim da Casa Azul (casa onde Frida morou). A idéia é que ela feche os olhos e se deixe levar pelos sons que vão aguçar sua imaginação.

A que mais me chama a atenção é a própria Casa Azul, onde os visitantes podem tirar fotos e sentir como se estivesse dentro de uma obra - um efeito bastante interessante e que tem agradado não somente as crianças. Como disse, o objetivo é aguçar as percepções, a curiosidade e a imaginação, além de divertir.

Bebês também são bem-vindos?

Sim. Também um dos principais propósitos da exposição é provocar essa interação entre pais, adultos e crianças - o que temos observado acontecer com bastante intensidade, já nos primeiros dia da exposição. Bebês vão precisar de um pouco mais de suporte dos pais, obviamente, mas são muito bem-vindos!

Originalmente, a exposição foi concebida pensando em crianças de 5 a 10 anos, mas costumamos dizer que na prática ela está destinada a uma faixa bem maior: 0 a 99 anos. 

Em 2017, a expo seguirá por São Paulo. Para saber mais, não deixe de seguir a página da Bacuri Cultural no Facebook. Agendamento de grupos também já podem ser feitos por email: agendamentofrida@bacuricultural.com.br